Moro justifica silêncio sobre movimentações financeiras de Bolsonaro: ‘Inapropriado’

7 meses Anterior written by

O ex-juiz federal Sérgio Moro, futuro superministro da Justiça do Governo Bolsonaro, falou pela primeira vez sobre o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) que apontou movimentação atípica de R$ 1,2 milhão em uma conta do ex-policial militar Fabrício José Carlos de Queiroz. Ele é ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) – filho mais velho do presidente eleito. As movimentações ocorreram entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.  Futuro titular da pasta, Moro disse que o ministro da Justiça não deve interferir em casos concretos ao ser questionado sobre como enxerga o relatório. “Vou colocar uma coisa bem simples. Fui nomeado para ministro da Justiça. Não cabe a mim dar explicações sobre isso. Eu acho que o que existia no passado de um ministro da Justiça opinar sobre casos concretos é inapropriado”, declarou. (Metro1)

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Brasil

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.