Após operação Lava Jato, aporte para Queiroz Galvão é adiado

3 anos Anterior written by

O governo adiou a reunião do comitê de investimentos do Fundo de Investimentos do FGTS prevista para hoje que discutiria aportes bilionários em diversas empresas e projetos. Segundo o colunista de Veja, Lauro jardim, a decisão do cancelamento foi tomada hoje por causa da operação Lava Jato.

O anuncio foi feito pela manhã antes do horário marcado para o encontro começar e pegou os integrantes do FI-FGTS de surpresa.

Entre os investimentos havia um que seria delicado aprovar depois das prisões de sexta-feira. A Queiroz Galvão Energias Renováveis pedia um aporte de 600 milhões de reais – equivalente a 30% das ações da empresa. O pedido já havia sido aprovado em reuniões do FI-FGTS, realizadas anteriormente, e seria chancelado na reunião de hoje.

Segundo Jardim, o peemedebista Eduardo Cunha teria feito lobby pela aprovação do investimento na empresa. Entre os integrantes do fundo está o vice-presidente da Caixa, Fabio Cleto.

 

BOCÃO NEWS

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Política