Óleo de coco tem mais gordura do que a banha, mas o coração agradece

5 dias Anterior written by

Adorado por uns, pouco apreciado por outros e desconhecido por mais uns tantos. Embora esteja agora em voga, o óleo de coco faz já parte da alimentação há uns anos, sendo uma das principais fontes de gordura em determinados países.

Atualmente, o óleo de coco é um dos meninos bonitos de um estilo de vida saudável, saltando facilmente da cozinha para o banheiro e até mesmo para os cuidados mais íntimos. Mas será este óleo vegetal assim tão saudável como se pode pensar?

Vamos por partes. Como diz a BBC, o óleo de coco tem 86% de gorduras saturadas na sua composição, enquanto a manteiga tem 51% e a banha de porco cerca de 39%. Estes dados são mais do que suficientes para levar as mãos à cabeça… mas não o faça. A equipe do “Trust Me, I’m a Doctor” da BBC decidiu verificar o real impacto do óleo de coco no coração e, por isso, colocou-o lado a lado com o azeite virgem-extra e com a manteiga de sal.

Para o estudo, participaram 94 voluntários com idades entre os 50 e os 75 anos, sendo que nenhum apresentava qualquer histórico de diabetes ou doenças cardiovasculares. Ao longo de quatro semanas, os participantes foram divididos em três grupos: um consumiu diariamente 50 gramas de óleo de coco extra virgem, outro consumiu 50 gramas diárias de azeite extra virgem e o terceiro incluiu na alimentação a mesma quantidade, mas de manteiga sem sal.

Os níveis de colesterol antes, durante e depois do período de análise foram avaliados e a equipe médica responsável pelo estudo concluiu que, apesar de ter mais gordura saturada, o óleo de coco mantém-se como a escolha mais acertada.

Na prática, os participantes do grupo do azeite mantiveram os níveis de colesterol bom e mau, o que prova novamente que esta gordura mediterrânica continua a ser uma das melhores opções (o colesterol mau, LDL, baixou pouquíssmo e o colesterol bom, HDL, subiu ligeiramente). Quanto à manteiga sem sal, o seu consumo diário levou a um aumento de 10% do colesterol mau e 5% do bom.

No que diz respeito ao protagonista do estudo, este mostrou-se aliado da boa saúde do coração, pois os níveis de colesterol mau mantiveram-se intactos, mas os níveis de colesterol bom subiram 15%.

Para o mentor do estudo, o fato de o óleo de coco possuir ácido láurico como principal gordura saturada faz com que tenha um efeito de escudo protetor no coração, porém, os efeitos benéficos desta e de qualquer outra gordura saudável, como o azeite, depende sempre do tipo de alimentação que se faz, podendo uma dieta completamente calórica e desequilibrada aniquilar os bons resultados obtidos.

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Saúde