Petrobras se compromete a empregar mão de obra da RMS na Landulpho Alves

3 anos Anterior written by
Após força tarefa de prefeitos das cidades de Candeias, Madre de Deus, São Sebastião do Passé e São Francisco do Conde, que se mobilizaram para atender a uma demanda da população e dos trabalhadores do setor petrolífero, a Petrobras emitiu uma carta na qual anuncia que a mão de obra a ser empregada na refinaria Landulpho Alves terá um percentual de 80% com pessoas da RMS.
A reclamação era de que a Refinaria Landulpho Alves e empresas do trevo do petróleo não estava cumprindo o acordo com os trabalhadores que previa o preenchimento do quadro de funcionários com pelo menos 80%. “As vagas serão distribuídas entre as quatros cidades através do SineBahia, que fará a seleção dos trabalhadores com a conferência dos comprovantes de residência dos candidatos”, afirmou Sargento Francisco (PMDB), prefeito de Candeias.
O prefeito de São Sebastião do Passé, Janser Mesquita (PMDB), considerou esse encontro “histórico”. “É uma data histórica para essas quatro cidades da RMS diante da problemática do desemprego que enfrentamos. O acordo já existia, mas não estava sendo cumprido”, disse Janser.
Representando o prefeito de São Francisco do Conde, Evandro Almeida, o secretário de Desenvolvimento Paulo César Costa lembrou que essa era uma luta das cidades do entorno da refinaria. “Agora, parece que o novo gerente geral da Petrobras, Ney Argollo, se convenceu da nossa reivindicação. Estamos trazendo para nossa população uma oportunidade que lhe é legítima”, defendeu Costa.
O prefeito Jeferson Andrade (PP), de Madre de Deus, chamou a atenção para um problema que ocorria com os trabalhadores que eram contratados pela Transpetro. “Existia um pedágio na contratação do funcionário. Tivemos a informação de que ao ser admitido, o trabalhador era obrigado a dar parte do seu salário como taxa por sua admissão. Já conversamos com o gerente geral e ele se comprometeu a apurar esse absurdo”, apontou.
Andrade também contou que as empresas que já estão com contratos firmados para começar a atuar na região em 2015 se dispuseram a oportunizar até 95% das vagas para a mão de obra local.
Por: Aparecido Silva (Twitter: @CydoSylva)

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Política