Amargosa recebe espetáculo teatral Castelo da Torre nesta terça-feira

6 anos Anterior written by

O Castelo da Torre, inspirado na trajetória da família Garcia D’Ávila e vencedor do Prêmio Braskem de Teatro – Melhor Direção, fará apresentações gratuitas em Cachoeira, Itaberaba, Amargosa e Valença

A montagem vencedora do Prêmio Braskem de Teatro 2015, na categoria Melhor Direção ja passou pelas cidades de Cachoeira e Itaberaba, seguindo ainda para Valença, no período de até o dia 25 de agosto. A montagem do Grupo Vilavox fala da história do Brasil e da Bahia, relacionando a voz dos oprimidos com alguns dos personagens da família Garcia D´Ávila, que durante três séculos desbravou todo nordeste brasileiro. A peça será apresentada em escolas, casarões e espaços cênicos diversos, apropriando-se das paredes, cadeiras e móveis para compor um universo híbrido, com passagens profundamente dramáticas, grandes coros, cenas individuais, em duplas, cenas cômicas e solos musicais.

O Grupo Vilavox é um dos mais importantes da cena teatral de Salvador e já circulou por todo país com seus espetáculos teatrais, contudo é a primeira vez que o grupo se apresenta nessas cidades, possibilitando conhecer os artistas e as realidades das artes cênicas destes locais. A expectativa é de apresentar um trabalho em um formato diferente do que o público está habituado, por sair do palco e explorar os cômodos, portas, paredes e estruturas de uma casa. Para Diana Ramos, atriz e produtora da circulação, “o público será contemplado por uma visão diferente do fazer teatro e do papel do espectador, que será convocado a ter uma atitude ativa, percorrendo o espaço, em uma obra que tem caráter de itinerância”.

Os municípios escolhidos compõem um mapeamento que o Grupo Vilavox fez das cidades que sofreram as influências diretas da Família Garcia D’Ávila, como o Recôncavo e a Chapada Diamantina (que foi inicialmente identificada por uma parte da família), fazendo uma relação direta com a história desses locais. “Os casarões em que faremos apresentações são espaços tombados, históricos e prédios públicos, com total implicação entre memória e poder político” acrescenta Fred Alvin, também ator e produtor do grupo.

A sétima montagem do grupo Vilavox tem como inspiração a história de opressão vivida por negros e índios no Brasil. Partindo inicialmente da história da família Garcia D´Ávila, grande latifundiária desde os tempos da colônia, com grande concentração de poder econômico, político e militar e que construiu a maior edificação colonial, ainda hoje com suas ruínas preservadas na Praia do Forte, a peça, com texto desenvolvido pelo grupo Vilavox em processo colaborativo e redação final do dramaturgo Marcio Marciano, prioriza dar voz aos negros e índios, buscando mostrar uma visão dos oprimidos durante o processo histórico da formação de nossa sociedade. Itinerante, apresentada invariavelmente em casarões antigos, O Castelo da Torre, dirigida por Meran Vargens é uma obra onde a nossa memória é invocada a flertar com a atualidade, para expor de forma crua nossas maiores atrocidades ao longo de mais de 300 anos.

“Acredito que o público vai se deparar com uma história do brasil que ele conhece de perto, sente ainda os impactos no presente” afirma Márcia Lima, integrante do grupo. Segundo a intérprete, está entre as metas do grupo estreitar as relações com o interior do estado, permitindo intercâmbios, trocas de experiências e melhor conhecer a produção para além da capital.

Com a participação de 11 atores (Bruno Guimarães, Camila Guilera, Clara Paixão, Diana Ramos, Diogo Teixeira, Fernanda Silva, Fred Alvin, Gordo Neto, Joker Guiguio, Larissa Lacerda e Marcia Limma), O Castelo da Torre conta com a longa parceria do grupo Vilavox com o diretor musical Jarbas Bittencourt.

A encenação – Fruto de uma pesquisa iniciada em 2009 pelo Grupo Vilavox, O Castelo da Torre parte de uma construção colaborativa, de forma compartilhada tanto na elaboração do roteiro quanto da exploração dos espaços da cena. A encenação de Meran Vargens parte de absorver as possibilidades oferecidas pelos artistas, que possuem trajetória bastante heterogênea.

A direção musical de Jarbas Bittencourt explora a amplitude do espaço e a sonoridade que ele oferece, mas também o potencial vocal do grupo, que sempre teve uma relação indissociável com a música e o canto. Referências musicais diversas se cruzam na montagem que tanto evoca a sonoridade dos cantos indígenas, quanto os lamentos africanos e revolta presente no rock contemporâneo.

Ainda integram a equipe, Rino Carvalho, assinando o figurino, que bebe na alusão às três raças que fundaram o povo brasileiro, a cenografia de Zuarte Júnior que reafirma a ambiência da casa e a alarga, invocando através de panos, cordas, correntes e objetos diversos as ruminâncias de um passado que ainda se impõe nos nossos dias e a iluminação criada por Luiz Guimarães, que também procura aproximar o público da intimidade da casa, usando fontes naturais e tornando discreta a interferência dos equipamentos no espaço.

SERVIÇO

Circulação do Espetáculo O Castelo da Torre pela Bahia – Grupo Vilavox

Amargosa

Data: 23/08 – terça-feira

Horário: 19:30h

Local: Espaço Nordeste

Entrada Franca – Até a lotação do Espaço

Endereço: Praça da Bandeira / Praça do Bosque S/N – Centro.

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Amargosa · Bahia

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.