Artigo: Você sabe o que é PANCS? Conheça.

1 mês Anterior written by

O que é PANCS?                                                                                       

O circuito comercial de vegetais atualmente é dominado por algumas poucas plantas. Esse modelo gera dietas restritas que não contemplam certos nutrientes e compostos bioativos importantes para o metabolismo. O ideal seria diversificar o consumo de plantas, proporcionando uma alimentação variada que forneça todos os nutrientes que nosso organismo precisa. (CALLEGARI E FILHO, 2017)

Os povos pré-históricos alimentavam-se com mais de 1.500 espécies de plantas, e pelo menos 500 espécies e variedades têm sido cultivadas ao longo da história. Há 150 anos a humanidade se alimentava com o produto de 3 mil espécies vegetais que, em 90% dos países, eram consumidas localmente. Hoje, quinze espécies respondem por 90% dos alimentos vegetais e quatro culturas – trigo, milho, arroz e soja – respondem por 70% da produção e do consumo mundiais.” (ESTEVE, 2017)

As Plantas Alimentícias Não Convencionais (PANCs) são plantas que poderíamos consumir, mas que não fazem parte do nosso cotidiano. Muitas delas tiveram ou ainda têm algum consumo tradicional em determinadas regiões ou culturas, mas estão caindo em desuso. O termo “não convencionais” significa que não são produzidas e comercializadas em grande escala, fazendo com que seu cultivo e uso possam cair no esquecimento. (CALLEGARI E FILHO, 2017)

As PANCS podem ser classificadas também como (Plantas Alimentícias Não Colonizadas). O Brasil está impregnado em todos os setores com a herança do colonialismo praticado pelos portugueses, ingleses e nos últimos anos pelos americanos. Este processo controla profundamente nosso processo cultura incluindo aqui a escolha do que comer e do que cultivar no campo. O consumo das PLANCS é um ato de descolonização do pacote implantado pelo capitalismo que transformam os alimentos em produtos envenenados, nossos corpos em um amontoado de doenças e as florestas em desertos, tudo em nome do lucro.

Estima-se que no Brasil existam aproximadamente 5 mil espécies de PANCS, essa grande variedade proporciona uma soberania alimentar de excelente valor biológico. 

A maioria dessas plantas são classificadas de “ervas daninhas”, “matos” e de diversas outras formas pejorativas. Muitas delas são deliciosas; possuem um valor energético, terapêutico e nutricional superior as plantas convencionais, além de cumprir várias tarefas vitais para os ecossistemas. As PANCS são plantas rústicas, espontâneas e devidamente adaptadas as condições naturais de cada região.

 O objetivo desse trabalho é resgatar o uso ancestral dessas plantas, proporcionando ganhos significativos para nossa ecológica interna e externa.

As PANCS cumprem a função importante de alimentar os animais silvestres e também os de criação. O consumo dessas plantas proporciona um fortalecimento do sistema imunológico de seus consumidores.

As plantas produzidas dentro da lógica da Revolução Verde são carregadas de agrotóxicos e são plantadas em solos empobrecidos. Ao consumir esse tipo de plantas geramos a “fome oculta’, intestino cheio de massa e vazio de nutrientes.

Na agricultura as PANCS contribuem para o controle biológico, melhoria da fertilidade do solo, biofertilizante, aumento da biodiversidade e regeneração de áreas degradadas. Elas proporcionam para os pequenos agricultores soberania alimentar e rendimentos financeiros já que muitas delas têm um grande potencial comercial.

 

COMPOSIÇÃO DO DETOX

Selecionamos 8 PANCS (moringa, tiririca, ora pro nobis, língua de vaca, palma, açafrão, tansagem e hortelã graúda) para fazer um DETOX com um alto valor regenerativo para as pessoas. Esse suco pode ser batido com pepino, laranja, melancia, rejuvelac, água de coco ou diversas outras formas.

Segue as principais características dessas PANCS selecionadas:

 

Moringa

Toda a planta pode ser usada de diversas formas: saladas, pratos variados, extração de óleo, chás e etc.

As folhas são ricas fontes de betacaroteno (uma das melhores fontes de provitamina A), proteína (27% com os 9 aminoácidos essenciais), vitamina C, vitamina E e vitaminas do Complexo B (B1, B2, B3), além de minerais como cálcio, ferro, fósforo e potássio. Boa fonte de antioxidantes, reduzem o extresse oxidativo (envelhecimento celular) prevenindo e tratando doenças como hipertensão, diabetes, colesterol elevado, osteoporose e câncer. O óleo é rico em Ômega 9.

 As sementes são responsáveis pela ação antimicrobiana eficaz no tratamento caseiro de água.

 

Ora pro nobis

As folhas, frutos e as flores jovens podem ser consumidas de diversas formas, em saladas cruas, geléias, sucos, refogadas, cozidas, em sopas, tortas, omelete, polenta e até mesmo no arroz com feijão.  Os brotos são utilizados como aspargos.

As folhas fortalecem o sistema imunológico. Contém proteínas de alta digestibilidade e valor biológico com cerca de 25% até 35%. Contêm ainda apreciáveis quantidades de vitaminas A, B e C, além de potássio, cálcio, ferro, lisina, magnésio, zinco, fósforo, fibras, substâncias mucilaginosas e aminoácidos essenciais.

 

Tansagem

As folhas jovens, sementes maduras e flores podem ser consumidas em refogados, chás, sucos, ensopadas, usadas em omeletes, pastéis, molhos, bolinhos, pães e bolos.

As flores colhidas frescas são usadas em molhos e caldos com sabor semelhante aos cogumelos.

As folhas da tansagem são compostas de taninos, flavonoides, cálcio, vitamina C, vitamina K, betacaroteno, proteínas, dentre outras substâncias.

Útil para o tratamento de úlceras intestinais, gastrite crônica, distúrbios renais, conjuntivite, sinusite, cólica infantil, feridas e cortes, disenteria, enxaquecas, resfriado, câncer e várias outras. Emplastros das folhas são úteis para furunculoses e queimaduras.

 

Língua de Vaca.

As folhas e brotos tenros podem ser consumidos em saladas, refogados, ensopados e como ingrediente para fabricação de pães, bolos, suflês e cremes.

As sementes pequenas e pretas também podem ser consumidas, por exemplo, colocando-as sobre os pães, assim como se faz como gergelim.     

Apresenta alto teor de proteína (22 %), possui elevado teor de potássio e de zinco.  São ricas em aminoácidos, cálcio, ferro, magnésio e potássio, sendo uma ótima aliada na· recuperação do estado nutricional causado pela carência desses nutrientes.

 

HORTELàGRAÚDA

            Ao utilizar as folhas é possível usufruir de seus princípios ativos, como mucilagens e óleo essenciais. Pode ser uma grande aliada nos tratamentos de asma, bronquite, coriza, dor de ouvido, gripe, úlcera, redução de dores de cabeça e náuseas, auxilio contra fadiga, prevenção do Alzheimer, ajuda a perder peso.

A hortelã pode ser importante para o estimulo das enzimas digestivas, as quais irão agir para a melhor absorção de vitaminas e minerais, garantindo a nutrição e digestão saudável, induzindo à eliminação de toxinas. Fortalece o sistema imunológico, ajuda na prevenção do câncer e colesterol. Ela também é serve de tônico capilar.

 

TIRIRICA

Ela é rica em vitaminas E e C; em fibras prebióticas, que são importantes para alimentar as bactérias benéficas do intestino, ajudando o crescimento da flora intestinal e dos níveis de insulina no organismo; contribuindo para a prevenção de inúmeras doenças e desequilíbrios da saúde. É um dos alimentos mais completos que existe.

É rica em sais mineiras tais como ferro, magnésio, potássio, zinco e fósforo, que são muito benéficos para a saúde. A ingestão dos tubérculos ajudam na melhora do funcionamento do sistema cardiovascular, na formação de músculos e estimulam o libido.

 

PALMA

            Esta planta é rica em cálcio, potássio, sódio e também oferece glicídios, componentes nitrogenados, fibras, vitaminas dos grupos A, B, C e K, clorofila, riboflavina e proteínas. Muitos são os estudos e pesquisas que afirmam que o cacto é realmente valioso para a saúde das pessoas, ajudando os sistemas glandular, nervoso, imunológico, circulatório, digestivo e respiratório. Supera as vitaminas das outras folhas convencionais.

 

AÇAFRÃO

O açafrão contém diversos minerais e vitaminas, com destaque para o potássio, que ajuda a controlar a pressão arterial e previne derrames. Também é fonte de vitaminas C, aliada da imunidade, e vitamina B6, que é benéfica para o cérebro.

Conta com ferro, que previne anemias, manganês, essencial para o metabolismo do colesterol e para o crescimento, cálcio, que é aliado dos ossos e dentes, e magnésio, importante para o metabolismo de glicose. Proteína, boa para os músculos, gordura e um elevado teor de fibra solúvel, que melhora o trânsito intestinal. No entanto, o seu grande valor reside na curcumina, um polifenol com ação antioxidante e anti-inflamatória.

Ela contribui para o combate ao câncer, alzheimer, desintoxica o fígado, é benéfico para o coração, problemas na pele,  combate a depressão e a esclerose múltipla.

 

Daniel Oliveira

 

Callegari, Cristina Ramos e Filho, Altamiro Morais Matos. PANCS. 2017. Disponível em: <http://intranetdoc.epagri.sc.gov.br/producao_tecnico_cientifica/DOC_40119.pdf>. Acesso em: 07/01/2020

                                   

Esteven, Esther Vivas. O negócio da comida – quem controla nossa alimentação? Ed. 1ª. SP: Expressão Popular, 2017.

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Saúde

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.