Defensora da maconha, Ronda interrompe entrevista para apoiar lutador suspenso

6 anos Anterior written by

A pena de cinco anos de suspensão para Nick Diaz por ser pego pela terceira vez em testes antidoping, com maconha no organismo, gerou uma enxurrada de críticas e até um abaixo assinado apoiado por lutadores para que ele receba uma pena mais branda. E até a campeã peso galo do UFC, Ronda Rousey, saiu em defesa do norte-americano, que é amigo e faz treinos com a lutadora. Ronda está na Austrália para promover o UFC 193, em que encara Holly Holm, e, apesar de ninguém lhe perguntar, usou uma coletiva de imprensa para falar da polêmica. A campeã é uma antiga defensora de que a maconha não seja considerada doping e já revelou que durante um período de sua vida era usuária regular da erva. “Me desculpem, ninguém me perguntou nada disso, mas eu tenho algo a falar. Não é nada certo para ele (Nick Diaz) ser suspenso por cinco anos por uso de maconha. Eu sou contra até que se teste para a erva. Não é uma droga que melhora a performance, não tem nada a ver com competição, só se testa por motivos políticos. Não há razão para se testar para maconha”, afirmou ela. Ronda comparou Diaz com seu algoz no UFC 183, Anderson Silva – depois, a luta foi declarada No Contest. O brasileiro foi pego com esteroides, pela primeira vez na carreira, e está suspenso por um ano. “É muito injusto que uma pessoa que foi flagrada com esteroides, que podem machucar alguém de verdade, seja suspensa por um ano e uma que fumou uma planta que a faz feliz seja suspensa por cinco. Não é justo.” “Não acho que maconha deve ser parte desta conversa (sobre doping) em absoluto. Acho que é uma invasão de privacidade haver teste para isso, eles não têm direito para isso”, concluiu, de acordo com a FOX Sports. (Uol)

 

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Esporte · Internacionais

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.