Internamente, PMDB admite relação de Cunha com R$ 4 mi da Odebrecht

5 anos Anterior written by

A cúpula do PMDB admite, a portas fechadas, que os R$ 4 milhões que ex-Odebrecht disseram em delação terem repassado para o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, foi partilhado também com o ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha. A jornalista Andréia Sadi revelou em seu blog no “G1” que a direção do PMDB não pretendia repassar o dinheiro a Cunha, mas ele teria se envolvido no esquema para garantir uma parte do valor arrecadado. Ainda de acordo com o texto, peemedebistas que acompanharam as negociações em 2014 disseram que R$ 1 milhão seria pago para peemedebistas do Rio de Janeiro, R$ 2 milhões para os da região Sul e R$ 1 milhão para a Bahia. No entanto, o deputado cassado teria cobrado cerca de R$ 1 milhão diretamente da empreiteira, o que causou confusão entre os peemedebistas. O responsável pelo repasse dos valores, o ministro Padilha, precisou intervir para resolver a questão.

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Brasil · Política

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.