Operação da Polícia Civil de Amargosa prende agiota com cerca de 200 cartões do Bolsa Família

7 anos Anterior written by

Após 06 meses de investigação, a Polícia Civil de Amargosa deflagrou na tarde desta sexta-feira (27), a operação “Essa Bolsa É Minha”, resultando na prisão em flagrante delito das pessoas José Geraldo Santos Almeida, 53 anos e sua companheira Iraildes dos Santos, 30 anos. O casal é acusado da prática de crime contra a economia popular e por reter cartão de benefício para pagamento de dívida, onde ofereciam empréstimo de dinheiro com juros abusivos e retinham os cartões de banco e cartões de bolsa família dos devedores.

A prisão ocorreu no momento em que o casal estava fazendo um saque com cartão magnético do benefício do Bolsa Família na agência da Caixa Econômica Federal do município de Amargosa, no Vale do Jiquiriçá. O casal já tinha realizado neste mesmo dia saques no Bradesco e Banco do Brasil e tudo foi monitorado pelos policiais civis de Amargosa.

José Geraldo mantinha um escritório no bairro da Catiara, sem qualquer autorização legal, onde eram feitos os empréstimos a juros exorbitantes. O esquema tinha como alvo principal pessoas de baixa renda, portadores dos cartões do Bolsa Família (daí provém o nome da operação) e que passavam por dificuldades financeira. José Geraldo oferecia os empréstimo a juros de pelo menos 20% ao mês e exigia das vítimas a entrega do cartão de benefício do Bolsa Família ou Aposentadoria, acompanhados da senha.

No dia do pagamento, os golpistas sacavam o dinheiro, descontava os juros e entregava a vítima o restante do valor. Muitas vítimas estavam presas nesse emaranhado de dívidas há vários anos e não conseguiam se livrar do débito. A maioria das vítimas eram pessoas idosas.

“A agiotagem é prática mesquinha e aproveitadora, onde pessoas abusam da fragilidade e situação de vulnerabilidade de outras pessoas.” argumentou o Delegado Dr. Adilson Freitas.

Foram apreendidos mais de 200 cartões com as respectivas senhas com o casal, em sua maioria do bolsa família. De acordo com a Polícia Civil, José Geraldo confessou que trabalha com agiotagem há mais de 10 (dez) anos, sendo que há 08 (oito) anos vive exclusivamente desta prática criminosa, a qual parece ser bastante lucrativa. Apenas para se ter uma ideia, no ano passado o José Geraldo adquiriu um veiculo Ford Ranger, ano 2014, pelo valor de R$ 150.000,00 a vista.

Foi apreendido ainda a importância de R$ 1.254,00 em espécie que estava em poder do José Geraldo.

A Polícia Civil pede a todos que tiveram seus cartões retidos pelos acusados, que compareçam na Delegacia de Polícia para fazer a retirada dos mesmos.

Os presos serão encaminhados para a carceragem de alguma cidade circunvizinha.

Polícia Civil de Amargosa.

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Amargosa · Crime · Polícia

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.