Pai pinta as unhas em apoio ao filho que sofreu bullying

7 anos Anterior written by

Thiago Moreira, que cria o enteado de 4 anos e o chama de filho, resolveu tomar uma atitude inusitada ao saber que a criança sofreu bullying por ter ido à escola com as unhas pintadas: pintar também as unhas com o auxílio do filho. Assim como o filho, ele também sofreu com a discriminação, como ele relatou em entrevista para o jornal “Extra”. “No trabalho, me perguntavam sobre o esmalte, eu explicava a história e as pessoas entendiam. Só uma pessoa questionou, falando que éramos muitos novos para dar essa liberdade para ele”, disse. Thiago – que trabalha como recepcionista em uma pousada em Ouro Preto, em Minas Gerais – tomou a atitude para apoiar o filho depois que ele chegou em casa cabisbaixo. Isso porque, na escola, os colegas disseram que ele, a criança, não seria um menino por conta das unhas pintadas.

Leia o relato completo postado por Thiago nesta sexta-feira, 1º, nas redes sociais:“Sempre que a Laura pinta as unhas, o Arthur quer pintar também, porque afinal de contas, são cores, e ele quer tê-las em suas unhas também.

Pois bem, deixamos que ele pinte.

Certo dia ele chegou em casa, de cabeça baixa começou a tirar o esmalte de suas unhas e a Laura quis saber o por quê, ao que ele disse:

– Um menino mais velho disse que eu tava parecendo uma menininha.
Imediatamente peguei a bolsa de esmaltes da Laura e pedi para que ele escolhesse uma cor para pintar minhas unhas, e a cor escolhida foi essa da foto.

Desde então, vou levá-lo e buscá-lo na escola com as unhas pintadas por ele.

——

Hoje no trabalho – pra quem não sabe, trabalho como recepcionista em uma pousada – um guia turístico veio buscar um de nossos hóspedes para um passeio e, assim que entrou na pousada, uma das primeiras coisas que ele notou foi:

– Você pinta a unha?

Contei pra ele a história e ele imediatamente fez questão de dar sua opinião a respeito:

– Mas você não acha que é prejudicial pro seu filho?

– Não, não acho. Por que seria? Ele é uma criança, ele não sabe preconceitos, não ensinamos isso em casa.

– Ah, mas pensa bem. Se você pinta a unha dele, VOCÊ tá contribuindo pra que ele seja alvo de bullying na escola… […] Quando tiver com ele em casa e ele quiser pintar a unha, pegue uma base, sei lá, e diga “olha, filho, esse aqui é o esmalte do papai, esse aqui você pode passar que ninguém na escolinha vai rir de você.

– Hei, mas a graça pra ele está JUSTAMENTE nas cores, ele gosta das cores, nós não vemos problema nenhum com isso e eu não irei privá-lo das cores porque outros pais ensinam seus filhos a ter preconceitos.
Após perguntar minha idade ele emenda:

– Eu tenho uma filha de 20 anos, ela nunca namorou e ela gosta dessas coisas mais Heavy Metal, mas se eu vejo ela usando uma bota de HOMEM eu digo “Filha, não tá legal”… […] Veja só, vocês são novos, não sejam tão liberais, hoje você pinta a unha dele, amanhã ele pode querer usar uma calcinha e se um dia ele chega de mãos dadas com um “coleguinha” na sua casa?

– Meu! PELAMOR! Ele gostar agora de pintar as unhas não interfere na sua sexualidade!

– Você acha que não?

– ÓBVIO que não! Se no futuro ele SE DESCOBRIR gay, se no futuro ele chegar de mãos dadas com um “coleguinha”, se no futuro ele quiser / gostar de usar calcinha, ele saberá que poderá contar com todo nosso apoio, pois somos seus pais e isso jamais deixaremos de ser. No mais, ele no momento é só uma criança que não tem preconceitos e nem é criada com eles.

Aí o hóspede chegou e acabou a conversa.

Bom dia.

P.S: Vai ter unha das mãos pintadas pelo filho SIM e se reclamar pinto as dos pés também”.

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Brasil

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.