Para Neto, defesa do fim do isolamento social é genocídio: ‘Não coloco minha assinatura’

1 ano Anterior written by

Ao alertar para a proximidade do momento mais crítico de Salvador em relação à pandemia do novo coronavírus, o prefeito da capital da Bahia e presidente nacional do DEM, ACM Neto, relacionou medidas de afrouxamento do isolamento social e de medidas de restrição de circulação de pessoas a um genocídio. 

“Como prefeito digo uma coisa: não coloco a minha assinatura em nenhuma medida que venha permitir a instalação de um genocídio, de mortes desenfreadas em nossa cidade”, anunciou Neto durante entrevista ao Bahia Meio Dia nesta segunda-feira (18). 

Dados mais recentes da Secretaria de Saúde do Estado indicam que Salvador soma 5.317 casos de infecção pelo novo coronavírus, 189 óbitos e concentra 62,96% das ocorrências de Covid-19 de todo o estado. 

ACM Neto fez duras críticas ao grupo de manifestantes que foi às ruas da capital baiana neste domingo (17) e furou o bloqueio da prefeitura para questionar e criticar as medidas impostas pela gestão municipal. “Quer manifestar? Repeite o decreto. Porque no fundo está desrespeitando é a vida das pessoas”, disse democrata.  (BN)

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Bahia · Política

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.