População de João Dourado sofre sem ambulância do SAMU

5 anos Anterior written by

A única ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) do município de João Dourado, Região de Irecê, está fora de operação desde o último dia 4 de março, ocasião em que a Secretaria Municipal de Saúde emitiu comunicado informando que o veículo havia sido encaminhado “para manutenção em oficina especializada”. Nesta quarta-feira (05), em discurso na Tribuna da Câmara Municipal, o vereador Carlos Átila (PMDB) denunciou o fato e cobrou providências ao prefeito Celso Loula Dourado (PT). “Já estamos há mais de um mês sem atendimento e até agora nada foi feito”, lamentou. Em conversa com a reportagem do Sertão Baiano, o vereador Cristiano Oliveira (PMDB), popularmente conhecido como Kita de Julho Rato, se mostrou revoltado com a “falta de humanidade” da gestão municipal e fez uma revelação: “mesmo com o SAMU sem funcionamento, os recursos oriundos do Governo Federal continuam entrando normalmente na conta da Prefeitura”. Como pode ser visto na imagem em destaque, na sede do SAMU em João Dourado, a garagem onde deveria ficar a unidade móvel está sendo usada como estacionamento. Em outra imagem, conseguida com exclusividade pela reportagem, é possível identificar que o último paradeiro da ambulância foi o pátio do Setor de Transportes do município, localizado às margens da BA-052 (Estrada do Feijão). A situação gerou protestos até mesmo em meio à base aliada do Governo na Câmara Municipal: a vereadora Rosângela Cardoso (PSB) foi a primeira a se manifestar. “O SAMU não pode parar”, protestou. Ela também cobrou uma ação efetiva por parte da Secretaria Municipal de Governo em relação aos Pedidos de Providência encaminhados pelo Poder Legislativo. O vereador João Rumão (PT), que pertence ao mesmo partido do prefeito, também endossou a solicitação: “precisamos de respostas”. Fato concreto é que desde o dia 4 de março a população de João Dourado está desassistida no que diz respeito aos atendimentos de urgência e emergência realizados pelo SAMU 192. Entre as pessoas que foram negligenciadas, destaque para o vice-prefeito Adriano Alves Nunes, vítima de acidente fatal no último dia 29, que – sem o serviço especializado – esperou por cerca de uma hora até ser socorrido por uma ambulância convencional.Por Sertão Baiano

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Bahia

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.