Presidente do TRT-BA discute greve por reajuste com servidores, juízes e advogados

7 anos Anterior written by

O presidente do Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT-BA), desembargador Valtércio de Oliveira, participará da votação do reajuste salarial dos servidores do Judiciário Federal, prevista para acontecer nesta terça-feira (30), no Senado, em Brasília. Valtércio reforçou apoio a aprovação do reajuste dos servidores. Em uma reunião realizada nesta segunda-feira (29), o presidente do Regional recebeu magistrados, advogados e servidores, em momentos diferentes, para discutirem a greve dos servidores do Judiciário Federal para aprovação do Projeto de Lei Complementar 28/2015. Na reunião ocorrida com a Associação dos Magistrados do Trabalho da 5ª Região (Amatra5), os juízes pediram que fosse garantida a segurança dos magistrados em suas salas de audiência, enquanto perdurar o movimento. “Estamos do mesmo lado em relação às perdas salariais, pois se trata de uma necessidade de todos os trabalhadores brasileiros, esperando, apenas, que o movimento se utilize de mecanismos pacíficos, sem exageros”, afirmou a presidente da Amatra5, juíza Rosemeire Fernandes. Já a Associação Baiana de Advogados Trabalhistas (Abat) pediu a suspensão dos prazos processuais do dia 16 ao dia 30 de junho. “Esperamos e torcemos pela aprovação do PL28, mas temos que dar satisfação para a população atendida pela Justiça do Trabalho, entendendo que o movimento deve ser razoável”, afirmou o advogado e presidente da Abat, Emerson Mangabeira. O servidor Rogério Fagundes, do Comando de Greve, afirmou que o quadro atual é diferente dos anos anteriores, e o projeto de reajuste data de 2009, já estando defasado diante da realidade atual e do arrocho salarial dos servidores. A defasagem salarial no Judiciário é de 49%, já descontado o reajuste de 15% concedido a todos os servidores públicos da União, o que motivou a paralisação nacional dos servidores.

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Bahia

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.