Qual o tamanho real da crise econômica em Amargosa?

5 anos Anterior written by

Independente do que a grande mídia noticia sobre a grave crise econômica que atravessa o Brasil, seria grave falta de conhecimento generalizá-la e não entender que alguns municípios conseguem ter uma economia local sustentável. E que muitos deles vem atravessando o momento atual com resultados significativos. Como exemplo, basta comparar dois municípios que apresentaram resultados que comprovam esta afirmação. Em 2016, o município de Juazeiro gerou 1.774 novos empregos enquanto o município de Lauro de Freitas, no mesmo período, teve 14.100 desempregados.

No caso específico de Amargosa, que em 2016 bateu recorde com 555 novos desempregos, neste ano apresenta um dado novo com o aumento da arrecadação de impostos pelo Governo do Estado da Bahia em 2017. Segundo a Secretaria da Fazenda, nos meses de janeiro e fevereiro de 2017, quando comparado com o mesmo período em 2016, os comerciantes de Amargosa pagaram mais 36,6% dos impostos ICMS, IPVA, ITD e outras taxas, em relação ao ano anterior, enquanto em todo o Estado o aumento foi de apenas 2,6%.

A chegada da Fábrica de Sapatos Ferracini e a reabertura do Frigorífico (atualmente da JBS) devem equilibrar parte do desemprego de 735 trabalhadores dos últimos dois anos, mas é importante considerar que estas duas ações não são bastantes para fazer a economia de Amargosa retornar ao seu apogeu com relação a geração de emprego dos anos de 2008 a 2011.

Independente de saber que no ano de 2016 os programas Bolsa Família e o BPC – Beneficio de Prestação Continuada injetaram na economia de Amargosa aproximadamente R$ 27.800.000,00, precisamos ter os olhos voltados ao crescimento sustentável através da Agricultura, principalmente a familiar, da modernização do comércio, do fortalecimento da UFRB, da UAB e do CETEP, dos investimentos públicos da Prefeitura e mais ainda pela valorização na aquisição dos produtos locais.

Um exemplo simples com resultados expressivos na economia local diz respeito ao Laticínio Nova Vista, que produz uma grande variedade de queijos de excelente qualidade, que tanto absorveu a oferta da produção de leite local, como gerou novos empregos no município.
O que falta a população de Amargosa, então, é entender como funciona a “roda” da economia local e começar a consumir os produtos produzidos na cidade e valorizar o comércio local para fortalecê-lo, só assim novos empregos serão gerados e se melhorará a vida dos amargosenses.

Valmir Sampaio

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Amargosa · Bahia · Economia

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.