Receita libera valores de restituições do IR; veja como aproveitar o dinheiro

6 anos Anterior written by

Nesta segunda-feira (15), a Receita Federal deposita o dinheiro e quem está no primeiro lote da restituição Imposto de Renda Pessoa Física 2015, ano-base 2014. Nesta fase, serão pagos R$ 2,36 bilhões em restituições para 1,49 milhão de contribuintes. Por ser um dinheiro extra, muitas pessoas acabam utilizando esse valor de forma desordenada e acabam perdendo a chance de organizar as finanças, afirma o educador financeiro, Reinaldo Domingos. “A primeira preocupação das pessoas devem ser com as dívidas, quem estiver com financiamentos ou dívidas no cheque especial ou no cartão de crédito deve estabelecer uma estratégia para eliminar o problema. Essas dívidas devem ser as primeiras a serem combatidas, já que as taxas de juros são mais altas do que a lucratividade de qualquer aplicação segura”, explica. Antes de sair pagando as contas, procure negociar as dívidas antes de pagar, reduzindo ao máximo os juros e as multas. “O contribuinte também deve ter em mente que é hora de combater as causas das dívidas e não o efeito, e isso só de faz com educação financeira”. Já para os contribuintes que não têm dívidas o ideal é investir o dinheiro. “É importante que o investimento esteja atrelado aos objetivos das famílias que devem ser de curto, médio e longo prazo. Caso contrário o retorno poderá não ser tão interessante, causando até prejuízos”, explica Domingos.

Melhores investimentos. Por mais que os números mostrem um tipo de investimento como vantajoso, vários fatores devem ser avaliados antes dessa decisão, dentre os quais estão o comportamento do mercado, que pode mudar de rumo como correr dos tempos e, principalmente, os sonhos e objetivos que se quer atingir com o dinheiro investido. Investir apenas na linha que aparentemente tem a maior rentabilidade pode ser uma armadilha, levando até mesmo a prejuízos. Além disto, o dinheiro poupado deverá ser dividido em investimentos direcionados aos objetivos e sonhos de curto, médio e longo prazo. Curto prazo

Período: aqueles que se pretende realizar em até um ano Investimento: pode ser interessante aplicar em caderneta de poupança, pois, mesmo com a baixa rentabilidade, quando necessitar terá a disponibilidade de retirar sem pagar taxas, imposto de renda ou perder rendimentos. Médio prazo. Período: de um a dez anos. São aqueles que não ocorrem imediatamente, mas conseguimos visualizar a realização em um período não tão longo, para estes são interessantes linhas que tenham prazos pré-estabelecidos no período do sonho a ser realizado. Investimento: dentre as opções recomendo Tesouro Direto, CDB, Fundo de Investimentos, Título do Tesouro e ouro. Neste caso, o melhor é pesquisar em pelo menos três instituições financeiras de grande porte. Longo prazo

Período: acima de 10 anos Investimento: o recomendado é investir em Tesouro Direto, previdência privada, e ações. No caso de investimento em ações, o melhor é investir no máximo 20% do dinheiro total com essa finalidade, isto porque existe grande risco por depender do desempenho da empresa na qual investe. “É importante manter a calma e não tomar decisões por impulso, também recomendo que se tenha uma reserva financeira extra para os imprevistos (para este a poupança também é recomendada), geralmente problemas acabam desviando o dinheiro dos sonhos de médio e longo prazo”, afirma Domingos.

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Brasil · Economia

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.