Roberto Jefferson deixa a prisão e vai para regime domiciliar no Rio

6 anos Anterior written by

O ex-deputado Roberto Jefferson saiu do Instituto Penal Francisco Spargoli Rocha, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, às 11h03 deste sábado (16). Ele foi autorizado pelo ministro Luis Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), a cumprir o restante de sua pena em regime aberto, após ser condenado no julgamento do mensalão do PT. “Nao posso falar muito, estou bem, graças a Deus, de volta para casa. Ainda tem um tempo para cumprir. Estou em paz, agora vou poder me cuidar melhor”, disse Jefferson, que completou que a primeira coisa que irá fazer é “namorar muito”.

Sobre trabalho – “Minha rotina de trabalho continuará a mesma. Hoje sou auxiliar de escritório, mas quero ver se começo a advogar um pouco, colocar na prática do que sei fazer”, completou. Sobre a prisão – “Não há prisão que seja boa. Fiquei 14 meses preso. Nunca vi ninguém aqui [no instituto penal] não ser tratado assim [com respeito]. Estou melhor do que ontem. Tive tempo de ler, conhecer o sofrimento das pessoas que passam por isso”, declarou.

Residência na Barra da Tijuca – Segundo a deputada federal Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha de Jefferson, ele irá morar em um apartamento na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. O imóvel alugado tem “cento e poucos metros” e fica a algumas quadras da praia, segundo Cristiane. Jefferson vai morar no local com a companheira, com quem está há 11 anos, e pretende oficializar o casamento no próximo dia 29, em Três Rios, no interior fluminense. Condenado a 7 anos e 14 dias de prisão em regime semiaberto pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, ele começou a cumprir a pena em fevereiro do ano passado em uma prisão em Niterói. A filha explicou que a razão para ele morar no Rio de Janeiro e não em sua casa em Levy Gasparian (no interior do estado), onde ele estava até ser preso, é para ficar mais perto do escritório de advocacia, no centro do Rio, e também para facilitar seu acompanhamento médico. “Na hora de definir se iria para Levy ou para a Barra, os quesitos levados em conta foram o trabalho, no Centro, e porque ele tem que ficar perto dos médicos dele, tem que fazer exames para saber por que ele está com uma infecção recorrente”, disse Cristiane.

Cirurgia em 2012 – Jefferson passou por uma cirurgia em 2012 para a retirada de um tumor no pâncreas e de parte do duodeno e do intestino delgado. Por causa disso, tem restrições alimentares resultantes do tratamento. “Ele tem dificuldades de saúde por consequência da cirurgia, mas não tem mais câncer. Ele ficou com um terço do aparelho digestivo”, explicou Cristiane. O apartamento na Barra, segundo ela, foi usado por Jefferson mais na época em que fazia tratamento contra o câncer e depois pela companheira dele para conseguir visitá-lo quando estava preso. A deputada contou ainda que, quando soube que o pai seria liberado, sentiu grande alívio. “Fiquei tão feliz, que, desde que recebi a notícia, relaxei tanto, dormi um sono que não dormia há meses”, disse. “Na prisão, ele teve diversas infecções. Agora, vai poder fazer melhor o acompanhamento”, afirmou. (G1)

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Brasil · Justiça · Política

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.