Site Amargosa Urgente confronta entrevista da Prefeita de Amargosa na Vale FM.

7 anos Anterior written by

A população de Amargosa vem reclamando diariamente da prestação dos serviços de Saúde, indicadores de Desemprego, além dos péssimos indicadores educacionais apresentados nos últimos meses, tanto na ANA (Avaliação Nacional da  Alfabetização) como no IOEB ( Índice de Oportunidade da Educação Brasileira), dentre outras pontos.
Pra tentar justificar as criticas que vem sofrendo da população, a Prefeita Karina Silva foi ao Programa do meio dia da Rádio Vale FM dar uma entrevista e fez uma série de comentários sobre os temas abordados.
O Site Amargosa Urgente ouviu a entrevista, anotou alguns pontos e depois foi consultar o ex-prefeito Valmir Sampaio sobre os temas abordados e publicar o que foi apresentado por ambos:

1. A Prefeita Karina Silva citou a crise na Saúde falando de previsão de corte em 2016 de R$ 5,0 bilhões no orçamento do Ministério da Saúde.

Valmir Sampaio comentou que este tipo de afirmação é apenas para causar terror e procurar justificativas quando ela não vem acompanhada de informações complementares. Falar de 5,0 bilhões sem citar que o orçamento de 2015 da saúde foi de R$ 109,2 bilhões e que este valor representaria 4,6% do total, como também não foi dito se seria tirado de custeio ou de investimento. Disse que  jogar números soltos sem dizer o contexto pode parecer leviandade.

2. A Prefeita falou de que comentam que não terá orçamento para a Farmácia Popular e existe a possibilidade de acabar o Programa.

Valmir Sampaio comentou que fica triste com estas afirmativas, passa a ideia que a Prefeita só lê a Veja e assiste Jornal Nacional. O Ministério da Saúde emitiu nota a Imprensa esclarecendo que o programa passará por um reajuste orçamentário. O programa, que tem 2,8 bilhões para implementação, será reduzido em 2016, em até R$ 578 milhões e disse também que o Ministério negou o fim do programa.

3. A Prefeita falou que existe a possibilidade do fim do SAMU.

Valmir Sampaio comentou que acha quase impossível isso acontecer. Beira a irresponsabilidade afirmar isso. O Samu é um dos programas mais bem avaliados do Ministério da Saúde. Alguns prefeitos não tem boa vontade com o SAMU porque gostam da política do passado, onde o eleitor era obrigado a ir atrás do político para pedir a ambulância e depois lhes era cobrado o favor com o voto. O Samu é cidadania, o Samu salva vidas, afirmou o mesmo.

4. A Prefeita falou sobre queda e atrasos de repasse dos recursos para Prefeitura.

Valmir Sampaio comentou que ir pra Rádio soltar frases de efeito sem falar efetivamente de números é querer enganar a população. E citou números:

A receita do FPM ( Fundo de Participação dos Municípios ) de Janeiro a Setembro de 2014 foi de R$ 11.032.317,90 e no mesmo período de 2015 foi de R$ 13.336.656,96 que corresponde a um aumento de 20,88% no valor de R$ 2.304.339,06, enquanto o INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor acumulado no mesmo período é de 8,23%.
Disse que poderia falar de outras fontes de receita da Prefeitura que não tiveram o mesmo aumento, não só por culpa da falada crise ou de algum ente federado, mas responsabilidade da gestão. Quando não se matricula aluno se perde receita do FUNDEB, quando se compra fora do Município se perde Receita do ICMS, quando não se investe em Saúde também se perde receita, a exemplo do que perdemos com o PMAQ. Vale lembrar que o FPM é a maior fonte de receita das Prefeituras do Brasil.
Sobre atrasos nos repasses, disse que principalmente da Saúde são fatos históricos, por isso os municípios tem que fazer reservas para fatos desta natureza. Principalmente quando se arrecada dinheiro extra como os R$ 800 mil da Friboi e 800 mil da Caixa Econômica que a Prefeitura arrecadou ano passado.

5. A Prefeita falou, respondendo uma pergunta da ouvinte Rosana que a questão do Centro Cirúrgico fechado seria respondida em uma audiência publica.

Valmir Sampaio comentou que estranha adiar esta discussão sem buscar uma solução imediata. E disse ainda: Será que os R$ 1,6 milhões de receitas extras da Friboi e da Caixa  de 2014 não poderiam ser utilizadas na saúde? Lembrou também que o município recebeu do Ministério da Saúde R$ 540.931,06 no ano passado para Cirurgias Eletivas e não sabe se foi aplicado.

6. A Prefeita falou da atual crise econômica que passa o Brasil.

Valmir Sampaio comentou que precisaria ouvir com detalhes quais os pontos da crise econômica que a Prefeita falou. Ele acha que a crise é muito mais política do que econômica e lembrou que existe uma economia mundial, nacional, estadual e municipal e que cada uma tem suas particularidades. Falou que ultimamente tem feito um estudo socioeconômico dos municípios do Vale do Jiquiriçá e do Recôncavo e tem se surpreendido com a dependência econômica deles aos programas Bolsa Família e BPC – Beneficio de Prestação Continuada.

7. A Prefeita falou ainda da necessidade de mudanças bruscas no Brasil, criticou o Governo Federal e citou que esta solicitando a Embasa que veja a viabilidade de colocar água em Corta-Mão já que a mesma atende Tartaruga que está 21 km distante de Amargosa.

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Amargosa · Bahia · Entretenimento

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.