SP: Cantareira sobe pela primeira vez desde 26 de dezembro

6 anos Anterior written by

O reservatório do Sistema Cantareira subiu nesta terça-feira, registrando a primeira alta do reservatório em 2015, segundo informações divulgadas pela Sabesp. A última vez que o o maior reservatório de água da região metropolitana de São Paulo, que abastece cerca de 6 milhões de pessoas, apresentou alta foi em 26 de dezembro de 2014, quando subiu para 7,4%, ante 7,2% no dia anterior. Nesta terça-feira, o sistema está com 5,1% de sua capacidade, 0,1 ponto percentual acima de ontem. Na última semana de janeiro, a queda progressiva do sistema sofreu uma pausa, já que o reservatório manteve-se em 5,1% por sete dias. A pluviometria do dia ficou em 12,2 milímetros, de acordo com a companhia de saneamento. A média histórica de fevereiro é de 199,1 milímetros – no momento está com 35,4 milímetros. O Cantareira fechou o primeiro mês do ano com chuvas 45% abaixo da média histórica, que é 271,1 milímetros (mm). A pluviometria acumulada nas represas que formam o sistema chegou a 148,2 mm em janeiro. No mesmo período do ano passado, choveu ainda menos (87,8 mm). O volume armazenado no sistema naquela época, no entanto, estava em 22,2% Na semana passada, o governad Geraldo Alckmin (PSDB) anunciou que prevê o início de um rodízio de água em São Paulo até a primeira quinzena de abril. O prazo discutido entre integrantes do governo e dirigentes da Sabesp coincide com o fim do período chuvoso e previsão para o término da segunda cota do volume morto do Sistema Cantareira. O formato de rodízio ainda não foi definido. O cenário de cinco dias sem água por dois dias com abastecimento, citado pelo diretor Metropolitano da Sabesp Paulo Massato, é apontado como o mais crítico entre os analisados. A Sabesp analisa ainda colocar a Grande SP em regimes menos drásticos de rodízio, como de 4 dias (sem água) por 2 (com) ou 3 dias (sem água) por 2 (com). (Terra)

Comentários

Comentários

Artigos de Categorias:
Brasil

Deixe o seu Comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.